segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Nós, Professores(as)


Postagem reeditada.O mesmo cenário um ano depois( em 14/10/11).
****************** 
Hoje,véspera da data que deveria , ao menos, ser motivo de celebração, a realidade é bem outra. Há muitas décadas que o desalento, o descaso, o sucateamento, o desrespeito e outras atitudes similares marcam o Dia do Professor, como data de escárnio com a profissão e seus atores.
Recebi essa correspondência por e-mail e a compartilho aqui como testemunho de minha total adesão ao seu texto.
---------------------------------------------------- 
"Nosso Ministro da Educação quer ampliar de 200 para 220 os dias letivos (4 semanas a mais) na Educação Básica. Sr. Ministro da Educação, nós, professores, convidamo-lhe a passar apenas uma semana na sala de aula da Educação Básica, tanto na escola pública, quanto na escola particular, fazendo as ações inerentes a esta profissão (planejamento; correções; acompanhamentos; relatórios; atendimento aos pais; mediação em sala; etc...) para que sinta o quanto o trabalho do professor é INTENSO.
Na época em que o Ministro foi aluno, as férias eram de 3 meses, havia menos alunos por turma, os professores eram respeitados, as famílias mais estruturadas e com mais tempo para os filhos. Hoje o contexto e a demanda são outros, o que justifica uma carga horária mais HUMANA. Sugiro que o Ministro pense em AÇÕES PÚBLICAS que favoreçam verdadeiramente as crianças (lazer, saúde, alimentação, trabalho e moradia digna para os pais, etc...) porque não se aprende e se torna cidadão apenas pela ação da ESCOLA E DO PROFESSOR. 
Será trabalhoso demais SR. MINISTRO? Sugiro, ainda, que o MINISTRO pense em como oferecer boas condições de trabalho e remuneração aos professores que estão a cada dia mais sobrecarregados e com péssima qualidade de vida. Ou a intenção é ACABAR com esta profissão? 

Ainda acrescento que o acréscimo de 20 dias há 16/17 anos atrás em nada melhorou a educação, visto que quando estudei eram 180 dias letivos e se aprendia muito mais do que hoje, pois os professores eram respeitados, os alunos COBRADOS e não havia essa porção de paliativos, como dependência, recuperação paralela e uma porção de medidas para mascarar resultados (não para melhorar o ensino). Hoje o aluno é ensinado a ser irresponsável (não pelo professor, mas pelo sistema!). Mudem as leis. Pensem e repensem na educação e não nos dias letivos... 


Profª. Drª. Fernanda Castro Manhães
Coordenadora Acadêmica
Faculdade Metropolitana São Carlos - FAMESC

************** 
Apesar de tudo,abraço com entusiasmo todos os(as) colegas compromissados com a aprendizagem e formação cidadã de cada aluno(a).E aplaudo carinhosamente meus professores(as), em especial, a minha avó, que foram exemplos em minha vida.
Muito Obrigada professores brasileiros!

20 comentários:

  1. Infelizmente palavras muito atuais, ainda...os professores são sobrecarregados, mal remunerados, os alunos vem de famílias desestruturadas, em muitas das vezes, o sistema de ensino só piora a qualidade deste.
    Mas mesmo assim parabenizo à todos os professores, pela persistência, pela doação que eles oferecem ao ensino dos seus alunos.
    Beijos, boa semana querida, Calu,
    Valéria

    ResponderExcluir
  2. Querida Calu!
    Primeiramente, meus sinceros parabéns pela grande professora que és, pois mesmo sem mais lecionar, usa no seu dia a dia, a educação e formação que aprendeu e que soube tão bem aplicar com seus alunos e as pessoas que têm o privilégio de lhe conhecer pessoalmente. Tens o dom, nasceste para isso.
    Quanto à desvalorização desta classe tão importante, só temos a lamentar e esperar que um dia apareça um governo que entenda de uma vez por todas que sem Educação não há como formar uma nação sólida e com sentimento de que tudo aqui nos pertence e devemos fazer bom uso das coisas.
    Nunca me esqueço as palavras do ex-primeiro ministro da Inglaterra, Mr. Tony Blair no filme A Rainha, em que ao assumir seu cargo diz firmemente o que fará como prioridade em seu governo: "Education, Education, Education" e ele assim o fez, a resposta visível é o que é aquele país e o que é o nosso, sem ninguém que tenha esta visão primordial e amor verdadeiramente pela pátria, pelo nosso povo, tão sofredor e carente.
    Seu texto é não só de parabenização a todos os professores, mas um pedido de atenção a estes que aí estão no poder desta grande nação para que entendam de uma vez por todas esta necessidade tão premente.
    Parabéns neste dia e um super beijo, carioca.




    ResponderExcluir
  3. Eh, Calu que esses senhores dos Ministérios só inventam moda. Aqui, nas eleições municipais houve um candidato que sua plataforma era dois professores na sala de aula no ensino básico, mas as turmas com os mesmos 40 alunos. Te serve,
    essa???

    Beijos em dia de sol para os Mestres.

    ResponderExcluir
  4. Que pena que as notícias também nesse campo não são boas e alentadoras. Nada muda! Por isso, temos que parabenizar tanto os professores e o faço aqui ,deixando um beijo pra ti! beijos,chica

    ResponderExcluir
  5. A situação do ensino atualmente não é boa, embora nunca tenha sido sequer satisfatória.
    Mas é preciso acreditar que vai melhorar, para alegria dessas pessoas que trabalham com prazer, por amor, como acho que deve ser.
    No sábado o jornal Estado de Minas trouxe uma grande reportagem com professores que dão o suor pela profissão e precisa ver, moças novas, com o maior entusiasmo e recursos até particulares, para levar o ensino ao alunos com brilhantismo, alegria, acreditando na profissão.
    Que a luta de vocês, bravos professores, seja de vitórias e a educação encarada com determinação e seriedade pelos governantes. Beijo, Calu.

    ResponderExcluir
  6. A carta é perfeita.
    Sua homenagem aos professores, um dia será digna de quem segue essa profissão, como eu.
    Mas vamos deixar que a atenção e o amor tomem conta sempre.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Calu,
    também sou de uma família de professores (avó, mãe, 2 tias,2 irmãos e uma filha), todos persisitiram na profissão e foram felizes apesar dos pesares, já minha filha após 5 anos em sala de aula deu o fora rapidinho.
    Hoje ela ganha mais, se estressa menos e é mais valorizada, ela sabe qual sua verdadeira vocação, mas... acho bem triste isso.
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  8. Olá Calu,
    Tem que ter muita vocação, dedicação e amor por essa profissão tão bela.Só de pensar que todos passam pelas mãos dos professores e que essa profissão é a base do conhecimento, deveria ter um peso maior e um valor enorme, mas...
    Espero que o respeito pelos mestres dominem os corações dos estudantes.
    Parabéns!
    Bons fluidos.

    ResponderExcluir
  9. OI TUDO BEM !!
    OI ADOREI SEU BLOG JÁ ESTOU SEGUINDO PODERIA POR GENTILEZA SEGUIR O MEU TAMBÉM , E CLICAR NO G+ . MEU BLOG É :- http://brechodosul.blogspot.com.br , VAI DAR UMA OLHADINHA SERÁ UM PRAZER EM RECEBER

    OBRIGADA AGUARDO SUA GENTILEZA

    MARCIA REGINA - DESCULPE-ME A LETRA GRANDE MAS SOU DEFICIENTE ESPECIAL

    ResponderExcluir
  10. Olá Calu
    Merecida homenagem e revolta pela forma como essa profissão é tratada.
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Com muito pesar acompanho também, Calu, a decadência da Educação! Aplaudo vc pela reedição dessa postagem! Obrigada pela sua presença e receba meu terno abraço cumprimentando-a pelo "Dia do Professor"! Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Calu,que maravilhoso esse texto!De fato,quantidade não faz qualidade!Parabens pelo dia do professor a sua avózinha que deve ser linda e que a inspirou nessa bela carreira,mesmo com tantos entraves!bjs e meu carinho,

    ResponderExcluir
  13. Querida Calu, esse descaso não é de agora, vem já de longo tempo. O descaso é vergonhoso, afrontoso. Como querem um povo culto, educado se a sua base, que é a família e a escola é vista desse jeito? Aliás, como tudo, apenas algumas classes são privilegiadas. De que adianta? Os resultados estão aí: educadores, médicos e outros completamente desinteressados. E com razão. O básico lhes é negado. E o respeito... não existe! E milagres não acontecem.

    grande beijo, amiga.

    ResponderExcluir

  14. Olá Calu,

    Que seria de uma sociedade, de um país ou do mundo sem a figura imprescindível de um mestre?
    A classe merece valorização e respeito, não só com remuneração financeira
    justa, mas também com o apoio dos governos para melhorar as condições de apoio ao ensino.

    Parabéns por ter escolhido esta nobre profissão.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  15. Uma linda profissão, parabéns.

    Estamos fazendo um sorteio. Vamos participar?

    Desde já um abraço e boa sorte.

    Visite o blog:


    http://luzia-medeiros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Minha Calu querida!

    Onde nos metemos, né não? Mas ainda penso que fomos privilegiadas, pegamos o restinho de um tempo palatável!
    Admiro cada vez mais essa geração nova de professores que estão aí, pelas periferias e pelas entranhas esquecidas desse nosso país! Como sempre, há muitos que vivem dando o sangue para muita coisa acontecer, que acontece! A despeito do descaso e da desimportância dada pelos que poderiam e deveriam promover!
    Bjsssssssssssssss, quérida e parabéns também para nós, que de forma enviesada, ainda estamos na luta!

    ResponderExcluir
  17. Oi Calu!
    É sempre triste ver como se trata o professor e o ensino por aqui. Esta carta é atemporal, pois a realidade não muda e a indignação é silenciosa. Os professores forjadores do futuro são injustamente negligenciados.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  18. É triste,né,Calu?!
    Mas tenho esperança, que daqui a um ano as coisas sejam diferentes!
    Precisamos de mudanças!Precisamos acredita nelas e fazer acontecer!
    Mesmo atrasado, deixo meus parabéns!Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Olá Calu
    Não imagina como este texto sobre o Dia do Professor e também os seus comentários têm paralelo na situação que se vive aqui em Portugal. Precisamente antes de iniciar o atual ano letivo este governo tb fez (MAIS) umas quantas alterações, tb mexeram nos tempos letivos, também aumentaram a carga horária, o nº de alunos por turma, etc. Tudo para PIORAR AINDA MAIS O QUE JÁ ESTAVA MAU. E grande parte destas medidas por questões economicistas. É o que está dito aí, qdo nós éramos estudantes estávamos menos tempo na escola e aprendíamos muito mais! E isso não por culpa dos professores, mas deste sistema sem sentido.
    É incrível como temos os mesmos problemas, apesar de estarmos tão longe.

    Bjs

    ResponderExcluir

Teu comentário é o fractal que faltava neste mosaico.
Obrigada por tua presença querida!